Buscando a notícia para você desde 2007 - - Ano 2017 -

Essa ideia é boa

A Tailândia é um dos países mais populosos do mundo. Cravado no leste da Ásia, é banhado pelo Oceano Pacífico e abriga 70 milhões de habitantes.

Clima tropical, chuvas torrenciais e grandes favelas sem saneamento básico

são a mistura perfeita para a proliferação do Aedes Aegypti, mosquito transmissor de dengue, zyka e chikungunya.

Tão espalhadas quanto os mosquitos são as motocicletas de baixa cilindrada nas apertadas vielas de Klong Toey, a maior favela de Bancoc,


capital do país. Milhares de becos só são acessíveis a bordo de motonetas.

A fundação local Duang Prateep resolveu usar isso em favor do combate à dengue, e desenvolveu um dispositivo chamado "motorrepelente".

A invenção, fixada com um ímã na ponta do escapamento, usa o calor e os gases do escape para pulverizar um óleo natural que repele mosquitos. Segundo a fundação, cada borrifada teria alcance de até três metros.

Até agora foram instalados mais de 2 mil pulverizadores, o que, nos cálculos da entidade, devem proteger mais de 80 mil moradores da comunidade. Moradores afirmam que a quantidade de mosquitos diminuiu depois que as motos passaram a usar o dispositivo.

"Há potencial para fazer uma grande diferença na comunidade. O repelente não é tóxico e as motos estão por toda a parte. É uma forma de dar a todos a chance de ajudar", afirmou Damrong Boonyoung, líder comunitário da Klong Toey.

A Duang já demonstrou interesse em exportar a ideia a outros países, inclusive o Brasil. Seria uma boa solução para favelas como a Rocinha (Rio de Janeiro), que tem um exército de motos -- e outro de mosquitos -- circulando em suas vielas?



Fonte : Cicero Lima - Leonardo Felix - Infomoto e do UOL
Foto   : Reprodução vídeo divulgação

HORÓSCOPO